Pinhão – Começa a campanha de vacinação contra o Sarampo e Poliomielite (Paralisia Infantil)

Assim como em todo o Brasil, a Secretaria de Saúde de Pinhão realiza a partir desta segunda-feira, 06 de agosto, a campanha de vacinação contra o Sarampo e a Poliomielite. O objetivo é manter a erradicação da poliomielite e garantir a eliminação do sarampo no Brasil, a meta é atingir a cobertura vacinal do público-alvo.

A vacinação contra a poliomielite, responsável pela paralisia infantil, terá como população-alvo crianças de seis meses até menores de cinco anos. Serão utilizadas prioritariamente doses da vacina oral poliomielite (VOP) – vacina em gotas. No entanto, é recomendada a disponibilização da vacina inativada poliomielite (VIP), que é injetável, para as crianças acima de seis meses que estão com esquema vacinal atrasado.

Já a vacina tríplice viral, destinada à vacinação contra sarampo, caxumba e rubéola, será aplicada em crianças de um ano a menores de cinco anos.

De acordo com o secretário de saúde, Beraldo Amaral, as equipes das unidades de saúde já foram orientadas a atender a demanda. “Pais e responsáveis de crianças com idade entre seis meses e menos de cinco anos devem vacinar as crianças, aproveitando  inclusive o Dia “D” marcado para o dia 18 de agosto. É de fundamental importância a realização da vacina para que nossas crianças fiquem protegidas” afirmou o secretário.

POLIOMIELITE NO BRASIL

O Brasil está livre da poliomielite desde 1990. Desde então, não houve novos casos registrados e, em 1994, o país recebeu da Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS) a Certificação de Área Livre de Circulação do Poliovírus Selvagem em seu território.

A poliomielite é uma doença infectocontagiosa grave. Na maioria dos casos, a criança não vai a óbito quando infectada, mas adquire sérias lesões que afetam o sistema nervoso, provocando paralisia irreversível, principalmente nos membros inferiores. A doença é causada pelo poliovírus e a infecção se dá, principalmente, por via oral.

SARAMPO

Os últimos casos de contágio autóctone de sarampo no Brasil ocorreram em 2000 e, desde então, os casos registrados foram importados ou relacionados à importação. Em 2013 e 2014, foram registrados casos importados no país, com concentração em Pernambuco e Ceará. No mundo, em 2014, foram registrados 160 mil casos da doença e com o fluxo de turismo e comércio entre os países o risco de contaminação se eleva.

O sarampo é uma doença viral aguda grave e altamente contagiosa. Os sintomas mais comuns são febre alta, tosse, manchas avermelhadas, coriza e conjuntivite. A transmissão ocorre de pessoa a pessoa, por meio de secreções expelidas pelo doente ao tossir, falar ou respirar. As complicações infecciosas contribuem para a gravidade do sarampo, particularmente em crianças desnutridas e menores de um ano de idade. A única forma de prevenção é por meio da vacina.

Top